Saúde


Cinema 3D pode oferecer riscos à saúde



Uma grande parcela da população acha mais divertido e interessante assistir a filmes em 3D. Mas será que essa tecnologia é segura para todos? Quais os impactos do 3D na saúde?

Geralmente, os incômodos relatados são reflexo do esforço que o cérebro faz para formar a imagem tridimensional projetada. O ser humano enxerga naturalmente em três dimensões, porém, em filmes, videogames ou televisores em 3D, o cérebro tem de trabalhar mais: são enviadas imagens diferentes para cada um dos olhos e o órgão é obrigado a sobrepô-las para gerar a sensação de profundidade que faz com que os objetos “saiam da tela”. “A concentração cerebral aumentada, por um período prolongado, pode resultar em dor de cabeça, náusea e tontura”, explicou o pesquisador Michel Rosenberg, da Northwestern University, nos EUA. Pesquisas calculam que entre 5% e 10% da população tenha reações adversas.

No Exterior os fabricantes têm informado sobre possíveis riscos à saúde. O primeiro alerta foi da Samsung. As recomendações lembram as das bulas dos remédios: orientam a interromper o uso caso se sinta desconforto, como dor de cabeça, e informam sobre a possibilidade da ocorrência de crises epilépticas.


Distúrbios

Enjoou e tontura: causado pelo excesso de estimulo e incoerência de estado gerada pelo cérebro ao receber estímulos dos olhos que não correspondem ao do labirinto.

Dor de cabeça: causado pelo esforço excessivo do cérebro em tornar coerente as informações obtidas.

Epilepsia: pessoas sensíveis a estímulos gerados por faixas de cores podem ter espasmos musculares com todo o corpo como resposta aos estímulos gerados pelos projetores e televisores 3d.

Dor nos olhos: A constante dilatação e contração gerada pelos filmes 3D, aliada a diminuição na frequência de piscada dos olhos diminui drasticamente a lubrificação dos olhos, causando dor ocular.

Espasmo muscular temporário: O excesso de estimulo do cérebro pode ocasionar movimentos involuntários dos olhos ou músculos como válvula de escapa para uma concentração de informação.

Desmaios e desorientação: Passar muitas horas diante de televisores ou filmes em 3D pode ocasionar desmaios ou deixar as pessoas com problemas de orientação.

O que pode agravar os distúrbios:

Enxaqueca: Pessoas com histórico de enxaquecas estão mais propensas a sentirem suas dor característica ao assistir filmes e programas em 3D

Epilepsia: Portadores de epilepsia cronica devem evitar utilizar desta tecnologia, pois as alterações de cores e das frequências afim de gerar as imagens 3D acentuam as possibilidades de ma crise.

Labirintite: Sintomas de perda de equilíbrio flutuação serão sentidos mais intensamente por portadores com disfunção do labirinto, uma vez que o cérebro exigira um grande esforço deste órgão afim de dar sentido aos estímulos obtidos pelos olhos.

Ter menos de 12 anos: crianças e adolescentes são mais propensos aos distúrbios pois a atividade cerebral destes responde de forma mais intensa aos estímulos recebidos.

Medidas Preventivas

Algumas medidas podem afastar a possibilidade de ocorrer acidentes graves e auxiliam na diminuição das ocorrências dos distúrbios apresentados anteriormente:

Instale seu televisor 3D em ambientes afastado de escadas e ambientes com muitos obstáculos( moveis pontiagudos, estantes de vidro, ou chão com pequenos desníveis).

Ao final do Filme espere 5 minutos antes de iniciar suas atividades normais.

Em cinemas procure locais de fácil acesso e ao caminhar nas escadas utilize o corrimão como auxiliar.

Evite filmes que se utilizem de óculos com duas cores, os mesmos podem causar danos oculares e maiores disfunções no organismo.

Não ultrapasse o limite de duas horas continuas em frente ao televisores 3d.

Crianças com idade inferior a 12 anos devem evitar este tipo de equipamento.

É importante ressaltar que esses riscos não são gerais. “Não é todo mundo que vai sofrer sintomas. O que pode acontecer é um desconforto causado pelo esforço de focar as imagens do fundo com as que saltam de tela”, explica Leôncio Queiroz Neto, oftalmologista. Se o indivíduo estiver preocupado com os efeitos do cinema 3D ou sentir incômodo ao usar os óculos, um profissional deve ser procurado para que orientações específicas possam ser feitas.