Dieta


Beber café a noite atrapalha relógio biológico, afirma pesquisa



Tomar café antes de dormir atrapalha o relógio biológico, tornando mais difícil ter uma boa noite de sono e acordar de manhã – afirmaram pesquisadores norte-americanos.

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Science Translational Medicine não apenas para explicar porque os consumidores noturnos de cafeína ficam acordados e dormem até tarde, mas também para oferecer aos viajantes uma maneira de programar o uso da cafeína para limitar os efeitos do ‘jet lag’, segundo os cientistas.

O estudo envolveu cinco voluntários escolhidos de maneira aleatória para consumir a quantidade de cafeína obtida num café espresso duplo três horas antes de dormir, ou quem foram expostos à luz forte, ou receberam um placebo.
Durante 49 dias, os voluntários foram estudados sob diferentes condições, e sua saliva foi testada regularmente para os níveis do hormônio melatonina, que regula naturalmente os ciclos do sono.

cafe-com-leite

Eles descobriram que aqueles que tomaram cafeína em condições de baixa luminosidade experimentaram cerca de “40 minutos de atraso no ritmo da produção da melatonina”, segundo o estudo.

Aqueles expostos a iluminação intensa três horas antes de ir dormir tiveram seus relógio biológico atrasado em 85 minutos.

Quem ingeriu cafeína e ficou exposto a luz forte teve o ciclo da melatonina atrasado em 105 minutos.
“Este é o primeiro estudo a mostrar que a cafeína, a droga psicoativa mais usada no mundo, tem uma influência no relógio biológico dos seres humanos”, afirmou o professor Kenneth Wright da Universidade do Colorado, Boulder.
“Também fornece novos e animadores insights sobre os efeitos da cafeína na fisiologia humana”.

Enquanto as descobertas reforçam o conselho – já presente no senso comum – para evitar o consumo de cafeína antes de dormir, o estudo também aponta para a possibilidade “intrigante” de que o uso apropriado da cafeína pode ajudar a resetar o relógio biológico de forma a evitar o jet lag.

Entretanto, mais estudos são necessários para determinar como os viajantes que percorrem diferentes fusos horários podem usar a cafeína para se manterem acordados.

“Será importante para monitorar distúrbios do sono induzidos pela cafeína sob tais condições, o que poderia piorar o jet lag”, disse o estudo.